“Minas ao Luar” recebe Jesuane Salvador

A agenda do SESC Minas ao luar recebe, no dia 14 de outubro, toda a força interpretativa da cantora mineira Jesuane Salvador, em  espetáculo que homenageia os 75 anos de Clara Nunes e a genialidade de compositores como Candeia, Nelson Cavaquinho, Paulo César Pinheiro, entre outros grandes nomes do samba. Integrando a circulação do projeto, que tem percorrido diversas cidades de Minas Gerais, em todas as regiões do Estado, o show acontece às 21h, em Poços de Caldas.

 

Com uma formação típica do samba, a cantora traz ao palco todas as afinidades que seu trabalho e voz possuem com Clara.

 

O show pretende oferecer ao público acesso a obras que já fazem parte de nossa lembrança auditiva, motivando o gosto por sonoridades que vão além dos apelos midiáticos, mas encantam, através de um roteiro que propõe uma viagem musical que atravessa o tempo e atinge um público extremamente amplo, valorizando a vida e obra de uma das maiores cantoras brasileiras de todos os tempos na voz de outra mineira, cuja carreira tem demonstrado extrema dedicação e qualidade em suas produções.

 

Clara Nunes é, sem dúvidas, a maior cantora mineira de todos os tempos. Sua contribuição à música brasileira atravessou o tempo e rompeu as barreiras e preconceitos antes atribuídos à música inspirada pela cultura popular, deixando um legado de centenas de canções que são, até os dias atuais, tidas como hinos do samba brasileiro.  Mineira, cantora, de voz forte, sorriso largo e raízes calcadas na cultura popular, no samba, nos tambores de minas, no congado, na herança cultural afro-brasileira  –  A história de Clara tem tantas similaridades com a de Jesuane que as afinidades chamam atenção. Ainda em de 2006, quando o violonista mineiro e pesquisador Gilvan de Oliveira esteve em Poços para prefaciar o livro escrito por Jesuane sobre os congados da cidade ele disse “A essência de Clara brilha em Jesuane”.

 

Pesquisadora de cultura popular, com trabalhos de preservação do congado mineiro, a cantora diz sentir imensa apropriação pelo repertório.

 

“Para mim cantar “eu vou-me embora pra Minas Gerais agora…” ou “Se vocês querem saber quem eu sou, eu sou a tal mineira”, entre outras letras que couberam de maneira tão magistral nos lábios de Clara é estar completamente com posse de um discurso vivencial. Cresci entre os tambores de minha Minas Gerais, tenho a alegria de ser acolhida pelos ternos, ser neta de congadeiro e entender que apenas a força do povo é que legitima um artista. Há muito tempo tenho “namorado” a ideia de cantar Clara e em minhas apresentações sempre fazia algo de seu repertório, mas as pessoas me pediram por tantas vezes dedicar um espetáculo a ela que decidi fazer isto este ano. Creio que conseguimos sair da ideia da “personagem” Clara, em suas indumentárias e religiosidade para trazer a Clara mineira, do samba, do povo, em um repertório que transita muito entre a história dela e a minha. Estou muito feliz com o resultado”, contou.

 

O projeto é patrocinado pelo DME e tramita na Lei Rouanet.

 

“Nossa ideia é percorrer o Brasil apresentando nossa Clara e as raízes de Minas que moldaram sua personalidade e voz através das mesmas raízes que partilhamos. Para isso, tenho a alegria de estar ao lado de músicos que são genuinamente do samba”.

 

O espetáculo conta com Renato Felipe (cuíca, tan-tan, surdo congas), Ramon Domingos (pandeiro, tamborim, reco-reco, congas), Roger Domingos (cavaco), André Batiston (violão), Geléia (baixo) e Matheus Daniel (bateria).

 

O show apresenta a interpretação dos maiores clássicos gravados pela intérprete em sua trajetória, na voz de Jesuane. O projeto promete o encantamento do público e sua total conexão com o poder aglutinador do samba, que conquista a todos, de crianças a idosos, de todas as classes sociais e gostos musicais.

 

 

OFICINA DE SABERES

 

Oferecendo contrapartida social e a possibilidade de troca de experiências, no dia 13 de outubro (sexta-feira), às 19h, no Sesc Poços de Caldas (Rua Paraná, 229), também integrando as atividades do Sesc Minas ao Luar, Jesuane convida mestres da cultura popular para mais uma edição do Oficina de Saberes. No evento, a sabedoria vivencial de Mestre Bucha (Ailton Santana) à frente do terno de congos mais antigo da cidade, o centenário Terno de São Benedito, apresenta o Auto da Embaixada, com a presença de congadeiros e representantes da cultura popular local, e demonstra aos participantes todas as singularidades de sua trajetória, como mestre de bateria da Escola de Samba Saci-Pô e à frente do terno de congados que realiza um trabalho de repasse de saberes às crianças da zona rural local.

 

As inscrições poderão ser feitas de 9 a 13 de outubro na unidade local do Sesc, de 8h às 12h e de 14h às 18h.

 

 

 

Comentarios está fechado.

Redes Sociais

Twitter

Parceiros