Com Onda Roxa, Rasgacêro adia Festival Rasgamundo

Esta adiado o Festival Rasgamundo de Artes Integradas, que celebra os 20 anos do Grupo Rasgacero e aconteceria no próximo sábado (20) em razão do decreto da Onda Roxa em todo Estado de Minas Gerais como medida preventiva à infecção da COVID-19. 

Tendo em vista a adesão municipal ao plano Minas Consciente, a organização opta por adiar o festival. A nova data será definida tão logo haja flexibilização para eventos a partir do decreto. 

No entanto, para manter as comemorações, o Rasgacero exibe, neste sábado, em três sessões de estreia, o filme “um boi bem + brasileiro” que foi gravado em 2020, durante a pandemia, em uma adaptação da linguagem teatral para o cinema. A obra tem direção de Roberto Robleño. 

O espetáculo que virou filme

O espetáculo premiado contou com a direção de Rodrigo Robleño, que é também o autor da peça. Para ele, foi um desafio fazer a adaptação, já que a circulação que estava prevista para todo estado precisou ser suspensa e, para não ficar tão distante dos palcos e do público, a linguagem audiovisual foi a escolha possível. 

Além da releitura do espetáculo teatral em formato de um filme, produzirá um conteúdo digital de videoaulas sobre as festas de boi, que serão disponibilizadas em plataformas digitais abertas. 

A gravação durou sete dias durante os meses de julho e agosto de 2020 e teve como locação o Teatro Benigno Gaiga, no Espaço Cultural da Urca em Poços de Caldas, MG. Sem abrir mão do colorido, do lúdico e do brincante, o diretor reescreveu as cenas dos personagens. O palco do teatro tornou-se, não só o local das apresentações, como as câmeras se tornaram, então, os espectadores. O desafio, agora, é emocionar quem, de casa, assistirá ao filme. 

“Nós fizemos uma adaptação para que a essência do espetáculo seja mantida, ainda que no formato do vídeo, com a mesma riqueza e interatividade das apresentações de rua. É uma experiência diferente, mas que, neste período que estamos vivendo, de pandemia, é também uma forma de não ficarmos distantes. Agora, nosso desafio é emocionar quem estará em casa, nos assistindo, mas é um filme para a família, que valoriza a tradição mineira, vai ficar bonito”, disse Rodrigo Robleño, o ex-Cirque du Soleil e diretor do espetáculo.

Para o coordenador, Ricardo Malabi, a chance de fazer um filme é única. “Nós não tínhamos pensado nisso quando projetamos as comemorações dos 20 anos do Rasgacêro, mas tem sido uma experiência maravilhosa, poder reunir os atores, todo elenco, os diretores e uma equipe impecável para a celebração destas duas déca Cena Minas, Prêmio Artes Cênicas de Rua – 6ª Edição, em 2014.

Integraram o grupo nesta empreitada, Milton Leite, Kalleb Fernandes, Ivan Soares, Marcelo Ambrósio e Leo Brasileiro no elenco. Entre os convidados estão Nanda Dearo, Jesica Eberback, Thais Krauss, Ibrian Azy e Jorge Viviani.

Na equipe técnica do filme estão Fabrício Sassioto, Zé Henrique Pareja e Rogério Fonseca no vídeo. Milton Leite na sonoplastia e Toninho Molina na iluminação. 

O filme também homenageia Larissa Garcia e Dan Schultz (in memorian). Quem assina a produção são Bibi Rodriguez e Daniela Alvisi. O marketing digital de Flávio Baldoni. A coordenação geral é de Ricardo Valias, o Malabi. 

O projeto foi viabilizado pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais, com realização por meio do Governo de Minas Gerais. Tem patrocínio do Departamento Municipal de Energia (DME), através da Secretaria Municipal de Cultura de Poços de Caldas. Vale destacar que durante a gravação, todas as medidas de distanciamento e higienização do local e dos membros da equipe foram respeitadas durante os trabalhos.

Sobre o filme

No espetáculo, o personagem Artêro conta, em um auto de boi, a tradicional história de Pai Chico e de sua esposa Catirina que, grávida, deseja comer a língua do Boi Brioso, mais importante da fazenda onde vivem. Elaborado a partir de uma pesquisa dos mais importantes festejos de Bois, com texto e trilha sonora também assinados por Robleño, o musical se desenrola entre as aventuras e desventuras dos personagens, canções populares e entreatos cômicos com a irreverência característica do Grupo Rasgacêro.

Do rico folclore brasileiro, surgem em cena a namoradeira Maricota e o temido Jaguará, figuras do imaginário popular que convidam o público para brindar a arte de rua. Mais que uma homenagem, “Um Boi Bem + Brasileiro” é um convite à celebração das tradições culturais brasileiras. 

A montagem segue a mesma linha de produção artística, com ênfase nas manifestações da cultura regional, que consagrou o Rasgacêro como um dos mais respeitados representantes das artes integradas de Minas Gerais. Com a proposta da nova produção o Grupo venceu, pelo segundo ano consecutivo.

Serviço – Para acompanhar o Rasgacero e as exibições do filme, acesse o canal do grupo no YouTube: https://www.youtube.com/user/Rasgacero 

Comentarios está fechado.