Mostra A Estrada de Fellini traz 9 filmes do cineasta italiano ao IMS Poços


Em cartaz de 19 a 26 de janeiro, o evento é uma homenagem ao diretor italiano Federico Fellini, que completaria 100 anos neste mês.

Com curadoria de Marcelo Leme, a mostra A Estrada de Fellini acontece no IMS Poços, entre os dias 19 e 26 de janeiro de 2020. Durante esta semana, o público poderá conhecer parte da obra de um dos mais significativos cineastas do século XX.

Fellini, que faleceu aos 73 anos, completaria 100 anos no dia 20 de janeiro. Esta mostra é um tributo a sua memória e tem apoio da Versátil Home Vídeo. Todas as sessões são gratuitas e indicadas para maiores de 14 anos.

A seleção reúne nove títulos do diretor, além de um documentário exclusivo, Ciao, Federico!, dirigido por Gideon Bachmann e lançado no Brasil pela Versátil Home Vídeo.  Na abertura, será exibido A Estrada da Vida (1954), longa-metragem estrelado por Masina e Anthony Quinn.  Outro destaque da programação é Noites de Cabíria, estrelado por Giulietta Masina, esposa e parceira habitual do cineasta.

A produção de Fellini, que em geral contrariava narrativas tradicionais, é caracterizada pelo lirismo e pelo rigor estético inventivo, procedente de experimentações visuais. Também inclui obras de feitio onírico, característica acentuada em sua carreira. Ao longo de sua trajetória, o cineasta também realizou trabalhos bastante pessoais, cujo cunho autoral permitiu evidenciá-lo como um dos mais influentes e célebres cineastas italianos.

No domingo, dia 19 de janeiro, às 16h, será exibido A Estrada da Vida (Strada, La, 1954). Gelsomina (Giulietta Masina) é vendida por sua mãe para um lutador exibicionista (Anthony Quinn) que viaja por vários cantos tentando apenas sobreviver. A partir daí, a jovem moça o acompanha como ajudante, sempre sendo amada e judiada pelo homem, em uma relação conturbada, assim como suas vidas.

Programação

19 de janeiro (domingo)

16h – A Estrada da Vida (Strada, La, 1954) – 104’

Gelsomina (Giulietta Masina) é vendida por sua mãe para um lutador exibicionista (Anthony Quinn) que viaja por vários cantos tentando apenas sobreviver. A partir daí, a jovem moça o acompanha como ajudante, sempre sendo amada e judiada pelo homem, em uma relação conturbada, assim como suas vidas.

21 de janeiro (terça-feira)

19h – E La Nave Va (E La Nave Va, 1983) – 128’

Orlando é um velho jornalista que embarca no luxuoso navio Glória N., que parte de Nápoles para o ritual de enterro da famosa cantora de ópera Edmea Tetua. Nele também estão amigos e conhecidos da diva, colegas de trabalho e pessoas importantes da época, que escondem suas disputas internas em prol do funeral. Tudo corria bem, até o capitão resgatar do mar dezenas de refugiados sérvios, que fugiam de seu país e assinalavam o início da primeira Grande Guerra.

22 de janeiro (quarta-feira)

19h – Roma (Roma, 1972) – 128′

Semi-documentário sobre a capital italiana, intercalando relatos ficcionais da juventude de Fellini e sua chegada a Roma com cenas da cidade nos dias atuais à filmagem, e a busca do diretor pela Roma mítica da qual ouvia falar quando criança.

23 de janeiro (quinta-feira)

19h – Noites de Cabíria (Notti di Cabiria, Le, 1957) – 117′

Cabiria é uma prostituta baixinha e elétrica que vaga nas ruas de Roma, procurando um verdadeiro amor, mas sempre se decepcionando. Após ter tentado tudo, inclusive ajuda divina, ela acha seu pretendente dos sonhos no local e hora mais inapropriados. Mas, seria ele tão perfeito assim?

24 de janeiro (sexta-feira)

19h – Casanova de Fellini (Casanova di Federico Fellini, Il, 1976) – 164’

Uma visão extremamente felliniana das memórias do lendário sedutor Giacomo Casanova: as suas proezas sexuais e o seu declínio, em meio a cenários bizarros e decadentes.

25 de janeiro (sábado)

14h – Satyricon (Satyricon, 1969) – 129′

Baseado na famosa peça de Petronio, conta a estória da decadência do império romano através das aventuras de dois amigos que lutam pelo amor de um jovem andrógeno. O filme é todo fragmentado e não possui um inicio e um fim determinados, pois segue à risca a obra, que apenas parcialmente sobreviveu.

16h30– Ciao, Federico! (Ciao, Federico!, 1970) – 60’

Dirigido por Gideon Bachmann.

Fascinante documentário sobre os bastidores das filmagens de Satyricon, que registra o anárquico processo de criação felliniana e a relação do diretor com seu elenco, além da criativa utilização dos cenários.

18h – Amarcord (Amarcord, 1973) – 123′

Retrato da cidade natal de Fellini, Rimini, assim como ele a conheceu, nos anos 30. Mostra o cotidiano de diversos personagens da vila durante um ano, entre travessuras da adolescência, um rigoroso inverno, a passada de um transatlântico e a ascenção do fascismo.

26 de janeiro (domingo)

14h – Os Boas-Vidas (Vitelloni, I, 1953) – 103′

Numa pequena cidade da Itália, cinco jovens amigos são típicos “vitelloni” (inúteis) e vivem uma vida boêmia cheia de bebidas e mulheres. Sem perspectivas de vida, cada um encontra um modo de escapar da monotonia da vida provinciana tentando aproveitar e curtir as aventuras que esse mundo os reserva.

16h – A Voz da Lua (Voce della Luna, Le, 1990) – 122′

Último filme de Fellini, baseado no romance “Poemas de um Lunático”, de Ermanno Cavazzoni. Roberto Benigni é Ivo Salvini, um homem que vive entre o mundo real e da fantasia, sem poder distinguir os dois.

As sessões tem entrada gratuita para maiores de 14 anos. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3722-2776.

Comentarios está fechado.