Mununu apresenta o show ‘Galanga’ no domingo

O show digital ‘Galanga’ do músico poços-caldense Mununu estreia neste domingo (24), às 19h, com transmissão pelos canais do YouTube do Poços Curte em Casa e também do artista, prometendo surpreender e emocionar o público do início ao fim. 

Mununu convida os músicos Jorge Viviani (violão), Eduardo Sueitt (percuteria) e Ivan Trevisan (contrabaixo) para propagar a magia da sonoridade da cultura afro-brasileira em um repertório autoral que mistura também obras de grandes artistas nacionais, como Paulo César Pinheiro, Sérgio Santos, a mineira Brisa Marques, Thomáz Panza, Gerônimo Santana e Vavá Calazans, que são referências para sua carreira. 

Resgatando a africanidade e ancestralidade, o show propõe uma homenagem à força, cultura e musicalidade da África que está em nós, trazendo um olhar carinhoso para a importância do povo negro. A seleção do repertório foi cuidadosamente pautada em canções que rompem as barreiras e preconceitos do racismo estrutural que ainda existe na sociedade. 

Gravado no Teatro Benigno Gaiga, Espaço Cultural da Urca, a produção audiovisual é assinada por Lucas Malaquias, com captação e mixagem de áudio de Milton Leite.

A produção foi viabilizada pelo edital Poços Curte em Casa 2021 da Secretaria Municipal de Cultura de Poços de Caldas e tem apoio da Carvalho Agência Cultural. 

Sobre Mununu 
Antônio Rafael Andrade adotou o nome artístico ‘Munúnu’, um neologismo paterno, uma maneira carinhosa que seu pai o chamava na infância. Mununu é cantor, compositor e intérprete sul mineiro de Poços de Caldas, e com um timbre de voz marcante, tem chamado bastante atenção do público, produtores e outros artistas com suas recentes produções. 

Durante 19 anos esteve à frente da banda de música brasileira Jack Jow, um dos grandes nomes da cena independente da cidade, banda da sua juventude onde teve oportunidade de compor e gravar suas primeiras canções autorais. Também acompanhou o grupo de samba raiz ‘Bagaço da Laranja’ e o grupo de choro e gafieira ‘Cumari’ durante o ano de 2016.  

Em uma nova fase da sua carreira, Mununu revela o seu amadurecimento artístico, com composições, arranjos e melodias que buscam referências da cultura afro-brasileira. 

Assumiu a produção, gravação e criação dos arranjos de violão do disco ‘Camará’ de Nego Moura e Os Catioros, que será lançado em breve. 

Neste ano foi um dos finalistas do Prêmio de Música de Minas Gerais com sua música autoral ‘Galanga’, selecionada entre as 12 melhores canções do festival. 

Está em fase de produção do seu primeiro EP, que tem lançamento previsto para o primeiro semestre de 2022. 

Para conhecer mais sobre o trabalho do artista e acompanhar os próximos lançamentos siga as redes sociais @mununuoficial

Comentarios está fechado.