Pedro Cezar lança o single “Alma Boa”


Músico poços-caldense anuncia novo projeto com música sobre autoconhecimento

Talvez você o conheça como “Pedrinho do K2” ou “Pedro Lumbriga” – ou até com outros “sobrenomes” ligados a sua atuação como artista, produtor e agitador cultural, na ativa desde o final dos anos 90. No entanto, aos 37 anos, Pedro Cezar inaugura carreira solo com o lançamento da canção inédita “Alma Boa” que chega a todas as plataformas digitais (Spotify, Deezer, Youtube. etc) na próxima sexta-feira, 28 de Agosto. O single faz parte de um projeto em parceria com o selo Yes, Tupi Records, gerido pela produtora e pesquisadora musical Thabata Arruda, que prevê o lançamento de novas faixas até o final deste ano.


Com versos que refletem sobre o autoconhecimento e o autocuidado, “Alma Boa” foi escolhida como o primeiro tema a ser divulgado ao público. “É uma música que compus em 2016, quando tive que olhar para dentro de mim mesmo, me conhecer melhor, e buscar respostas para desafios pessoais que não estavam em outro lugar senão no meu próprio interior”, diz Pedro Cezar, que também destaca a importância de ajuda profissional nesse processo, por meio de terapia. 


O momento conturbado também foi decisivo para definir qual seria o primeiro single. Ele diz que a pandemia trouxe questões à tona que, além de agravarem as desigualdades nos diferentes contextos sociais do Brasil, interferem diretamente na saúde mental da população. “Achei então que propor esse olhar para a dimensão individual poderia trazer reflexões sob outros pontos de vista. Será que cuidar melhor da gente mesmo não pode ser uma chave para enfrentar os complexos desafios coletivos?”, indaga.


Gravada já no período de distanciamento social, a faixa ainda conta com a participação do músico carioca Michel Nascimento, na bateria, e com o baixo de Rafael Moreira, grande entusiasta da obra autoral de Pedro. A mixagem e a masterização ficaram à cargo de Deivid Santos, no DS Estúdio, em Poços de Caldas, MG, cidade natal do compositor.


Carreira solo coletiva?

Tendo iniciado a vida artística em 1998 junto aos parceiros da banda poços-caldense K2, Pedro Cezar se tornou nome conhecido principalmente por seu ofício de compositor – tanto nos projetos onde é linha de frente na voz e nas cordas (K2, 2ºDP, Macaxeira), quanto na discografia de intérpretes que transitam do independente ao mainstream, como no caso de Gabriel Guerra, com quem possui dezenas de parcerias. A partir de 2010, se torna produtor e gestor no Coletivo Corrente Cultural, acumulando aprendizados que o levaram a ocupar espaços estratégicos em instituições que atuam com as políticas públicas para a Cultura. Porém, a Música sempre esteve em seu cotidiano – fosse nos palcos ou nos bastidores.


Para ele, a ideia de encampar essa nova etapa está diretamente ligada ao seu crescimento enquanto artista. “Após bastante tempo senti que era a hora de mergulhar no universo das minhas composições e apresentar um material de qualidade para as pessoas que me acompanham e fortalecem minha caminhada. Componho muitas coisas que ainda não chegaram aos ouvidos do público. Mas a ‘carreira solo’ está muito mais no nome do que na prática, pois conto com o apoio de muita gente pra fazer esse sonho se tornar realidade”, resume.


Para acompanhar a divulgação desse novo trabalho e as novidades que vêm por aí, siga @pedrocezarmusica no Instagram e inscreva-se no canal do Youtube – youtube.com/PedroCezar.

Fotos: Sandra Ribeiro


Comentarios está fechado.