Poços de Caldas lança novo atrativo turístico regional

A cidade de Poços de Caldas se consolida cada vez mais no turismo de esporte e aventura e conta com atletas olímpicos do ciclismo, como Renato Rezende, Bruno Cogo, José Gabriel, Diego Magno, entre outros, que se destacam nos cenários nacional e internacional.

Com tamanho potencial, a Prefeitura, junto à Associação de Ciclistas de Poços de Caldas (ACPC), criou a Rota Vulcão de Cicloturismo: mais um atrativo que vai fortalecer o turismo, a cultura e os negócios, sem falar na qualidade de vida com a prática esportiva e a preservação do meio ambiente.

A ROTA VULCÃO
A ‘Rota do Vulcão’ será uma “cicloviagem”, passando pelo entorno da enorme caldeira vulcânica e conhecendo as paisagens rurais das cidades circunvizinhas a Poços que estarão nessa rota. O trajeto conta com oito pequenos percursos e passará por 9 cidades e seus distritos, abrangendo 350 km no total. O ponto de partida será na represa Bortolan e o ponto de chegada na Serra do Cristo Redentor.

Na última segunda-feira (03)  o vice-prefeito de Poços, Júlio César Freitas, o secretário de Desenvolvimento Econômico e Trabalho (SEDET), Thiago Mariano, o de Turismo, Ricardo Oliveira e de Esportes, Fernando  dos  Santos (Pelé), se reuniram com representantes de 6 municípios para concluir detalhes sobre a Rota Vulcão.

Participam da “cicloviagem” as cidades de Poços de Caldas (MG), Águas da Prata (SP), Andradas (MG), Divinolândia (SP), Santa Rita de Caldas (MG), Botelhos (MG), Bandeira do Sul (MG), Ibitiura de Minas (MG) e Caldas (MG). Todas elas farão nesta etapa o inventário comercial e hoteleiro da Rota.

“O retorno desse projeto será sentido com o turismo de experiência, onde o visitante conhece um pouco mais do cotidiano dos moradores da região, fomenta a economia de forma geral nos municípios  e também nas pequenas propriedades rurais”, pontuou Marcelo Munhoz, coordenador da Divisão de Fomento Agropecuário da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho (SEDET).

O vice- prefeito Júlio César ressaltou a importância dessa valorização da economia rural e de maneira integrada entre os municípios. “ Eu acho maravilhoso o quanto o projeto envolve as comunidades rurais. Vai ter cachoeiras, visuais, venda do bairro e a comercialização dos produtos de cada município, seja um doce, café, azeite, cachaça ou iogurte. Essa receita do turismo rural fortalece Poços e a região”.

As placas que irão demarcar as rotas estão sendo confeccionadas e a previsão é inaugurar a Rota Vulcão no dia 19 de agosto, Dia Nacional do Ciclista. “Colocaremos placas de sinalização a cada 1000 metros ou em encruzilhadas. Além das placas de sinalização, serão colocadas placas informativas em cada uma das cidades e pontos de apoio, onde estarão descritos, a quilometragem faltante para a próxima cidade, telefones de contato, dentre outros dados importantes para o ciclista”, ressaltou Marcelo Munhoz.

MAPEAMENTO
O mapeamento está concluído e encontra-se no WikiLoc, uma ferramenta conhecida mundialmente pelos aventureiros de várias modalidades esportivas, onde são mapeadas trilhas e as mesmas podem ser seguidas.

Os mapas inseridos no Wikiloc podem ser baixados em aparelhos portáteis de navegação (Garmin), por gerarem o arquivo GPX. Além de detalhar todas as informações necessárias para que o ciclista compreenda o grau de dificuldade e a rota do percurso. “Este vai ser um percurso que poderá ser feito em aproximadamente 7 dias, com diversas paisagens, atrações turísticas, diferentes plantações, natureza exuberante além do percurso ser feito ao redor da cratera de um vulcão. Temos um diferencial entre as outras rotas já existentes no Brasil. Nossa região apresenta diversidades geográfica, e principalmente desafios, que é o que o nosso cicloturismo busca”, explicou o Arison Siqueira, presidente da Associação de Ciclistas de Poços de Caldas

ATRATIVOS
A Associação de Ciclistas de Poços de Caldas espera que o projeto promova a integração de amigos e famílias, além do respeito e aproximação à natureza. O trajeto vai passar por capelas, lagos, cachoeiras, mirantes, represas, rios, museus, mirantes, plantações de diversas culturas, e vai ainda valorizar a culinária e artesanato regionais. “Este projeto faz parte da proposta da SEDET para agilizar a retomada econômica. Poderemos atingir as várias ramificações presentes nele como turismo, saúde, cultura, e principalmente a economia”, conclui Marcelo Munhoz, coordenador da Divisão de Fomento Agropecuário da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho (SEDET).

Comentarios está fechado.