Raul Seixas – A canção não está perdida!

Muito já foi dito sobre Raul Santos Seixas, mais conhecido pelos primeiro e ultimo nomes. O número de livros escritos sobre ele, incluindo biografias autorizadas e não autorizadas, é possivelmente o maior entre músicos no país. Todos querem dizer, contar, revelar e opinar sobre o roqueiro soteropolitano.

Porém com o passar dos anos, após a sua morte, muitas declarações passionais foram dadas pela filha, pela ex-mulher, amigos e também pelos compositores e músicos que tiveram a honra de estar ao lado de Raul Seixas, seja em estúdios, seja nos palcos pelo Brasil afora.

E é exatamente essa suposta ausência de paixão que Jotabê Medeiros imprime, com muito afinco, em sua escrita; sem que com isso não deixe de mostrar sua admiração, consideração e respeito pelo artista biografado no livro “Não Diga que a Canção Está Perdida”, da Editora Todavia. Aqui histórias são contadas com certa riqueza de detalhes, passando por todas as fases do cantor, compositor e músico baiano, que desde pequeno já demonstrava não querer fazer parte dos movimentos musicais abrasileirados de seus conterrâneos.

Sua paixão por Elvis Presley foi a mola propulsora pro que viria ser o seu repertório inicial nos primeiros, até então, LP’s. À partir daí muita coisa aconteceu pro bem e pro mal de Raul Seixas, na vida profissional, pessoal e espiritual. E tudo isso é contado com maestria e imparcialidade por Jotabê Medeiros, fruto possivelmente de muita pesquisa e consequente discernimento na hora de passar tudo para o papel. Destaque também pras páginas finais com várias fotos raras e documentos nunca antes apresentados.

*Resenha enviada por Rodrigo Lee  (músico, produtor cultural e pesquisador de todas as vertentes do Rock n’ Roll)
Contato: rodrigo_lee@hotmail.com

Comentarios está fechado.